Comer, rezar e amar… em São Paulo!

Há 15 anos, a jornalista americana Elizabeth Gilbert decidiu que era hora de se conhecer depois de enfrentar um divórcio dolorido. Em busca de novos significados e autoconhecimento, ela largou o emprego e partiu para uma viagem de um ano de duração, sozinha, com o objetivo de examinar alguns aspectos de sua própria natureza.

Na Itália, Liz descobriu o verdadeiro prazer da gastronomia; o comer sem medo das calorias. Na Índia, ela aprendeu a rezar, a meditar e a perdoar alguns erros e atitudes até então consideradas erradas. E na Indonésia, ela exercitou o equilíbrio entre o prazer mundano e a transcendência divina, aprendendo a se amar e a se deixar amar.

Como nem todo mundo pode largar tudo para tirar um ano sabático, decidi montar esse pequeno roteiro por São Paulo, contemplando as três etapas da peregrinação que a autora de “Comer, Rezar, Amar” impôs a si mesma. É, portanto, um guia de lugares para você, assim como a Liz, refletir sobre a vida e traçar novos objetivos, sem gastar uma fortuna se deslocando até o outro lado do mundo.

PARTE I: COMER

Por conta do café e das muitas oportunidades de trabalho criadas com a expansão da lavoura no século XIX, muitos imigrantes, em grande parte da Itália, desembarcaram na capital paulista (Estação do Brás). Embora a maioria continuasse a viagem para o interior do estado, muitos ficavam, iam se instalando e abrindo seus pequenos negócios. Isso fez de São Paulo uma das maiores e mais importantes comunidades italianas do mundo e por isso, não faltam cantinas, pizzarias e sorveterias por aqui. Nessa primeira etapa da “viagem”, faça como a Liz: deixe a ditadura da magreza de lado e permita-se comer sem culpa em São Paulo. É só uma fase.

• PIZZARIA SPERANZA – Essa pizzaria é obra do talento e disposição de uma família de Nápoles (sul da Itália) que chegou a São Paulo no final dos anos 50. Seo Francesco Tarallo e Dona Speranza trouxeram na bagagem várias receitas, elaboradas no dia a dia da família. Começaram em uma pequena instalação para um pequeno público, e em pouco tempo se mudaram para o endereço que estão até hoje, na Rua 13 de Maio. Em 1979, nasceu a segunda unidade, em Moema. A pizza da Speranza está entre as melhores que comi até hoje! Endereço: Rua 13 de Maio, 1004 – Bixiga /Av. Sabiá, 786 – Moema.

• CANTINA MONTECHIARO – Fundada em 1974 por um filho de italianos, a Montechiaro mantém no cardápio cerca de 300 pratos. O mais famoso entre eles é a perna de cabrito, seguido do fusilli ao molho de tomate e calabresa. A decoração do lugar recria um lar italiano com dois salões amplos em formato de arco. Endereço: Rua Santo Antônio, 844/846 – Bela Vista.

• SORVETERIA DRI DRI – A matriz dessa sorveteria encontra-se em Londres, mas foi em Capri que o dono italiano buscou inspiração. Aqui, em São Paulo, ela foi trazida por dois franceses (eita, globalização!) depois do sucesso obtido em Londres. Esse sucesso todo deve-se ao fato de seus gelatos serem mais magros (têm até 6% de gordura) e de seus ingredientes serem todos premium: as amêndoas vêm da região de Puglia, a baunilha é de Madagascar e o Pistache é comprado na Sicília. É o que garante seus donos. Os gelatos são fabricados diariamente e sem conservantes. Endereço: Rua Padre João Manoel, 903 – Jardim Paulista / Cidade Jardim Shopping.

• RISTORANTE TAORMINA – Esse restaurante italiano é um dos poucos da cidade dedicado fortemente às receitas da Sicília. Além de antepastos como berinjela à parmegiana e as famosas massas, nesse estabelecimento também é servido o famoso cannoli de sobremesa; tubinho recheado tipicamente siciliano. Endereço: Alameda Itu, 251 – Jardim Paulista.

• TRATTORIA LELLIS – Assim como tantos outros aqui em SP, essa trattoria foi fundada por neto de italianos. Funciona desde 1981 e sempre foi sinônimo de sucesso. Sua decoração lembra uma típica casa italiana e suas massas são servidas em porções fartas, com bastante molho. No cardápio, destaque para o rondeli, com recheio de uvas passas, nozes e ricota, e o canelonni verde, que leva salmão e ricota. Há também opções de risotos, sopas, frutos do mar e carnes; o famoso filleto à parmegiana está presente entre as opções de carnes. Endereço: Rua Bela Cintra, 1.879 – Consolação.

PARTE II: REZAR

Na Índia, Liz se dedicou à arte da devoção e, com a ajuda de uma Guru, embarcou em quatro meses de contínua exploração espiritual. Mediante algumas técnicas como a meditação e a entoação de cânticos, ela conseguiu finalmente estabelecer uma conexão com Deus. A apenas 30 km da Pauliceia, na cidade de Cotia (SP), é também possível desapegar-se da rotina, se isolando em retiros de yoga, meditação e silêncio nos templos Odsal Ling e Zu Lai. Os dois possuem restaurante de comida vegetariana, base da dieta de Liz nessa fase da viagem.

• TEMPLO ZU LAI – É o maior da América do Sul e faz você se sentir em um cenário de um filme oriental. Seu projeto foi inspirado no estilo arquitetônico oriental dos palácios da Dinastia Tang e foi desenvolvido em conjunto por arquitetos chineses, taiwaneses, japoneses e brasileiros. As obras foram concluídas em outubro de 2003, e desde então o templo se dedica a solidificar e nacionalizar os princípios do Budismo no Brasil. Logo na entrada, Budas e Arhats dão as boas-vindas aos visitantes. Endereço: Estrada Municipal Fernando Nobre, 1.461 (Km 28,5 da Rodovia Raposo Tavares). Se interessou? Clique aqui e veja mais detalhes desse templo.

• TEMPLO ODSAL LING – O terreno foi comprado em 2001, no alto de uma colina, graças a generosidade de alunos da sanga do Chagdud Gonpa espalhados por todo o mundo. Hoje, consiste em um exemplar autêntico da arquitetura tibetana, com riqueza de cores e ornamentos. Algo impensável de se ver em terras brasileiras. Endereço: Rua dos Agrimensores, 1.461 – Cotia (SP). Se interessou? Clique aqui e veja mais detalhes desse templo.

PARTE III: AMAR

Liz finalmente parte para a Indonésia, sua última parada nessa viagem em busca de si mesma. E é em Bali que ela vai encontrar, além de conhecimento e novos amigos, o amor e a paz que tanto buscou. Não sei se foi destino ou sorte que fez com que ela conhecesse um cara legal em Bali (e brasileiro!). Mas a única certeza que tenho é a de que ficar em casa – com tanto lugar legal – não é a melhor das opções quando o seu intuito é conhecer gente bacana e interessante. São Paulo possui mais de 2.000 casas noturnas, 15 mil bares e 13 mil restaurantes. É claro que tudo vai depender do seu perfil.

• PARQUE DO IBIRAPUERA – Ficar em forma e ganhar condicionamento são motivos que levam muita gente a pular da cama e calçar um par de tênis. Mas, para alguns solteiros, o motivo está justamente nos corredores. Além do clima agradável, esse parque está cheio de gente bonita, atlética e simpática. Quer mais motivos para começar aquela caminhada tão adiada??? Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral – Vila Mariana.

• BAR BLÁ – Confesso nunca ter ido, mas algumas amigas garantem que só tem gente bonita e que o clima de azaração nesse bar é forte. Bom, é só uma ideia. Endereço: Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 5.003 – Jardim Paulista.

• VILA MADALENA – Os bairros de Pinheiros e Vila Madalena têm opções incríveis para os baladeiros de plantão. Experimente o Bar Secreto (Rua Álvaro Anes, 97 – Pinheiros), o SubAstor (Rua Delfina, 163 – Vila Madalena) e a Mercearia São Pedro (Rua Rodésia, 34 – Vila Madalena). Quem frequenta garante que dá para se divertir e conhecer gente legal.

Matéria publicada no São Paulo Times, dia 22.01.15.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s